Desordem temporomandibular e ansiedade

Desordem temporomandibular e ansiedade

Desordem temporomandibular e ansiedade em graduandos de odontologia

Aline Úrsula Rocha Fernandes, Alício Rosalino Garcia, Paulo Renato, Junqueira Zuim, Lígia Del'Arco Pignatta Cunha, André Vinícius Marchiori

As Desordens Temporomandibulares são doenças que afetam as articulações temporomandibulares e músculos da mastigação do aparelho estomatognático. Fatores psicossociais desempenham papel importante na etiopatogenia dessa doença. O objetivo deste estudo é avaliar a relação entre o grau de desordem temporomandibular e o nível de ansiedade em estudantes de graduação em Odontologia, em três períodos do curso (1o ao 4o semestres, 5o ao 7o, e 8o ao 10o semestres), por meio dos questionários auto-aplicáveis Índice Anamnésico de Fonseca e do Inventário de Ansiedade Traço-Estado (IDATE). Os dados foram tabulados e posteriormente analisados por meio dos testes estatísticos Kruskal-Wallis e correlação de Pearson, ao nível de significância de 1%. Os resultados mostraram correlação positiva e diferença estatisticamente significante entre DTM e ansiedade, em todos os períodos avaliados; e um nível mais alto de ansiedade foi observado no período intermediário do curso (5o ao 7o semestres). Concluímos que houve relação diretamente proporcional entre DTM e ansiedade nos alunos avaliados, estatisticamente significante, independente do estágio cursado; o maior nível de ansiedade foi observado no grupo formado por alunos do 5o ao 7o semestres, contudo sem nenhuma significância estatística. Torna-se importante desenvolver uma estratégia para o controle do estresse e da ansiedade dos alunos no curso de graduação em Odontologia.



Voltar para artigos
whatsapp
whatsapp